Buscar
  • Henrique Correia

Eleição presidencial fez duplicar número de votos no estrangeiro


A Suíça foi o país onde se registou o maior número de votantes. Seguiram-se o Brasil, a França e o Reino Unido.



O número de votos no estrangeiro para a eleição do Presidente da República duplicou face à última eleição presidencial. Os dados são provisórios, mas o Governo da República revela, em comunicado, que apontam para 27.615 votos em relação aos 14.150 de 2016. "Este aumento, a confirmar-se uma vez concluído o escrutínio provisório, ainda pendente em três postos consulares, verifica-se também em relação ao número de votantes na eleição para o Parlamento Europeu em 2019, que registou 13.816", refere a informação. Num comunicado publicado nas plataformas digitais do Governo, é referido que "os votantes no estrangeiro correspondem a cidadãos nacionais que, residindo fora de Portugal e estando recenseados na Comissão Recenseadora da sua área de residência (correspondente à morada constante do Cartão de Cidadão), votaram nos dias 23 e 24 de janeiro em 164 secções de voto em cerca de 145 serviços consulares da rede externa portuguesa"

O Governo sublinha que"onúmero de locais de voto, o mais elevado de que há registo e para onde foram enviadas 15 toneladas de material eleitoral, bem como o número de secções de voto, representa um aumento de cerca de 30% face à eleição presidencial de 2016".

Os postos consulares onde se registou um maior número de votantes foram, por ordem decrescente, Londres, Luxemburgo, Paris e Macau. Em termos globais, por país, a Suíça foi o país onde se registou o maior número de votantes. Seguiram-se o Brasil, a França e o Reino Unido.

Recorda-se que, na votação antecipada no estrangeiro, que decorreu entre os dias 12 e 14 de janeiro, votaram, em 117 postos consulares, 5.429 cidadãos nacionais, o que corresponde ao maior número de que há registo. O voto antecipado é dirigido aos

eleitores recenseados em território nacional e temporariamente deslocados no estrangeiro".

2 visualizações