Buscar
  • Henrique Correia

A "Branca" que deu "Bronca"


Falha na componente digital das pulseiras leva Naval a declinar responsabilidades de organização digital alheia e a prometer reembolso das verbas não utilizadas no consumo de bebidas na Festa Branca.



A organização da Festa Branca, no Clube Naval, mas com parte da concessão externa, teve os seus pontos "negros" quando falhou o mecanismo das pulseiras, uma opção muito frequente nas festas de hoje, que substitui a circulação de dinheiro vivo. É um bom sistema quando funciona. Não foi o caso.

De resto, a organização do The Original White Remember – FESTA BRANCA, publicitada como sendo do Clube Naval e do Naval Beach Club, informou que a troca do bilhete por pulseira só poderá ser feita durante o dia do evento na Quinta Calaça, adiantando com algum regozijo que "este ano a organização traz da novidade de um evento sem dinheiro em circulação, como tem sido habitual em grandes eventos teremos uma pulseira de leitura e neste caso com sistema da 360city".

Acontece que o próprio Clube Naval, já hoje, emitiu uma nota onde dá conta que "é totalmente alheio à organização e aos procedimentos digitais utilizados na venda de bebidas na festa branca. Os constrangimentos no serviço de venda de bebidas ficaram a dever-se a problemas tecnológicos na pulseira e na app fornecidos pela empresa contratada pelo organizador da festa".

O Clube Naval acrescenta que "garante o reembolso integral, sem qualquer taxa, do dinheiro investido e não gasto no consumo de bebidas".


100 visualizações