Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque "puxa" dos velhos tempos contra Lisboa: "A luta continua..."



Presidente do Governo em véspera do Dia da Região: "A Região não aceitou desconsiderações no passado e também não as vai aceitar agora".





Estamos a poucas horas do Dia da Região, 1 de julho. E é neste contexto que o presidente do Governo Regional retoma um discurso de combate com Lisboa, na matéria que diz respeito ao reforço da Autonomia. Foi durante a cerimónia oficial de lançamento do Dicionário da Autonomia da Madeira, uma obra que contou com o apoio da secretaria regional de Turismo e Cultura e que é da autoria do professor universitário e historiador Paulo Miguel Rodrigues.

Miguel Albuquerque utilizou a expressão "a luta continua" para dizer que valeu a pena lutar pela Autonomia, mas avisa que essa luta ainda não acabou. Antes pelo contrário, há que reforçá-la face ao centralismo da República. Lembra que a Região não aceitou desconsiderações no passado e avisa que também não as vai aceitar agora, refere uma nota publicada nas plataformas digitais do Governo.

Hoje, diz Albuquerque "quando as forças do centralismo anacrónico e opressor ressurgem no nosso País com grande força, temos de reafirmar como nos velhos tempos que a “luta continua”!».

Miguel Albuquerque defende que "há que ampliar os poderes autonómicos, colocando as decisões da “res publica” mais próximo do nosso Povo, alargar ao máximo os poderes do nosso Parlamento, permitir a escolha de caminhos diferentes, no quadro da nossa Autonomia, para a sustentabilidade e desenvolvimento da nossa Região Autónoma".

O presidente do Governo Regional aproveitou ainda para exigir que "o Estado cumpra os princípios de subsidiariedade e assuma de uma vez por todas a continuidade territorial, como um imperativo de justiça elementar".

Por exemplo, realçou, "circular dentro do território nacional não pode ser mais caro do que viajar ou mandar bens para território estrangeiro. O que se passa é uma vergonha!"


6 visualizações