top of page
Buscar
  • Henrique Correia

Barreto quer programa de Governo CDS para consolidar com parceiro PSD


"Era o que faltava que nós nos fundissemos. Uma coligação não é uma fusão, o CDS tem a sua identidade, tem a sua história e tem gente muito capaz".




"Era o que faltava que nós nos fundissemos. Uma coligação não é uma fusão, o CDS tem a sua identidade, tem a sua história e tem gente muito capaz". Foi assim que o líder do CDS marcou a apresentação do projeto "Madeira - Traçar Horizontes" que vai conduzir a um programa de governo tendo em vista as eleições regionais deste ano de 2023, onde o CDS vai coligado com o PSD. Um programa que vai sair de um grupo alargado de trabalho, composto por Ricardo Vieira, Lopes da Fonseca, Lavinia Corte, Dinarte Fernandes, Luciano Homem de Gouveia, Ana Cristina Monteiro, Emanuel Almada e Ricardo Abreu.

Mas Rui Barreto esclareceu um ponto importante desta apresentação deixando claro que depois do trabalho feito, de auscultação ampla e diversificada, haverá uma segunda fase em que vai decorrer o processo de consolidação com o parceiro de Coligação, o PSD, que por sua vez, segundo Rui Barreto, também já começou a trabalhar na sua parte.

Em termos de primeira avaliação, é claro que o CDS não vai submeter exatamente este programa de governo ao eleitorado porque não vai só a eleições. Rui Barreto sabe isso muito bem. Mas o CDS também não quer ficar atrás como se fosse a "muleta" do PSD, quer mais, muito mais, quer mostrar sobretudo que tem ideias, que tem programa e que vai preparar tudo como se fosse sozinho, como se o PSD aceitasse tudo para incluir no futuro programa de governo da coligação, esse sim, vai a votos.

Mas esta quarta-feira, no Colégio dos Jesuítas, Rui Barreto marcou território. O CDS tem identidade e gente capaz, reforçou. "Sabemos o que queremos, para onde vamos", disse o líder, que definiu objetivos para o grupo de trabalho: " Queremos um programa que respeite a doutrina social da Igreja, a democracia cristã, um programa inovador, moderno, fresco. Temos que desafiar as novas gerações para que se interessem pelas freguesias, pelos concelhos, pela Região. Peço um programa com ideias claras, exequíveis".

Rui Barreto disse ter confiança no futuro da Região: "Temos um Governo estável, o mais estável em Portugal, temos um bom crescimento económico, temos instituições fortes".



8 visualizações
bottom of page