Buscar
  • Henrique Correia

Bispo pede campanha eleitoral digna da sociedade madeirense


D. Nuno Brás: "Nestas próximas semanas, assistiremos à contraposição legítima de projectos e de pessoas que se apresentam com o objectivo de servir o interesse comum".




D. Nuno Brás foi ao Monte falar de fé, do povoamento da Madeira, de Nossa Senhora, de pandemia, mas também de eleições autárquicas. Foi na cerimónia religiosa do Dia do Monte que o Bispo lançou uma componente espiritual e uma mais terrena. Não é dos bispos mais vocacionados para a política, como já aconteceu num passado, nem a mensagem vai além da apreciação genérica, mas é sempre interessante quando ocorrem estas "recomendações" em nome da Diocese.

O líder da Igreja Católica Madeirense lembra que "ao sairmos deste tempo de pandemia - que nos privou (e ainda priva) de não poucos momentos humanos e de tantas expressões públicas da fé -, não podemos deixar de olhar com esperança o horizonte que agora se começa a abrir diante de nós. É que, à nossa frente, ergue-se Santa Maria, o humano glorificado, a mulher e a discípula que partilha plenamente em Cristo da glória de Deus. E que nos diz qual o caminho a percorrer. E que nos diz que é possível percorrê-lo, como pessoas e como comunidade".

O Bispo diz que "é este mesmo projecto que não deixará de nos conduzir na escolha daqueles que hão-de dirigir as nossas autarquias. Na liberdade e em consciência, havemos de escolher aqueles que pensamos serem os melhores para continuar a construir um modo de viver que se aproxime o mais possível da meta que nos propomos como comunidade madeirense.

Nestas próximas semanas, assistiremos à contraposição legítima de projectos e de pessoas que se apresentam com o objectivo de servir o interesse comum. Que seja uma campanha digna da sociedade madeirense que somos. E que Nossa Senhora do Monte a todos assista e acompanhe".

Como sucedeu com Nossa Senhora, também em nós (em cada um de nós e em todos) Deus quer fazer maravilhas. Por todos interceda e a todos a Senhora do Monte encha de suas bênçãos.

Desde o povoamento da Madeira, o Bispo lembra que "com a consciência de viver um verdadeiro início ao começar o povoamento da nossa Ilha, devemos dizer que, ao longo dos séculos, também para toda a sociedade madeirense a Virgem Maria foi o modelo: modelo da devoção pessoal e modelo da própria sociedade no seu todo - ainda que, sabemo-lo bem, a sua concretização histórica não tenha sido isenta de erros, desvios e pecados que, no viver terreno, sempre marcam o agir humano".

4 visualizações