Buscar
  • Henrique Correia

Calado "ataca" Funchal e Victor "ataca" Calado: "Quer ser candidato? Jogue limpo"


Vice do Governo "deita a cabeça de fora" para mostrar números de aumento de impostos da gestão de Miguel Gouveia e com isso poderá já ter aceite o desafio da candidatura ao Funchal



Foi com esta imagem que Victor Freitas rebateu, no Facebook, as acusações de Pedro Calado


Ainda mal começou o ano, com a pandemia sem uma descida que se veja, ainda, mas com a situação controlada, como diz o Governo, e até ver não há razão para duvidar, e eis que estala a "guerra" numa disputa que se prevê acesa pela conquista da Câmara do Funchal, nas próximas eleições autárquicas.

Dois dias depois de Miguel Albuquerque ter avançado com o anúncio de coligação no Funchal, assumindo o acordo com o parceiro de Governo, o CDS, num comunicado partidário, do PSD Madeira, o vice-presidente do Governo Regional, que se sabe ser o preferido do líder para uma candidatura forte, mesmo correndo o risco de desfalcar o Governo, apareceu numa reportagem, no caso o JM, numa clara ofensiva de números visando a gestão de Miguel Gouveia, do género impostos no Funchal crescem 20% ao ano ou CMF reduz IMI mas fica com mais receita, tudo indicando que Calado, que na Autarquia funchalense teve a pasta das Finanças, já estava a assumir uma primeira aparição pública de pré candidatura, pelos jornais, um expediente aliás muito em voga por parte do Governo, mas também pelas Câmaras Municipais e praticamente todas as forças políticas madeirenses. É um expediente bom quando serve.

E é neste cenário que já começa a campanha, é assim que vai ser. Não vai ficar por aqui. E mesmo as reações não foram muitas, compreende-se, uma vez que todos também vão precisar destes tabuleiros estratégicos, uma vez que são, também, entidades contributivas. Por isso, a reação mais contundente não veio da Câmara do Funchal nem de Miguel Gouveia, veio de Victor Freitas, deputado do PS e vice presidente da Assembleia, que não poupou nas palavras para "atacar" Calado. Foi na página do Facebook, considerando que o "putativo canditato" da coligação faltou à verdade. Com uma palavra mais forte, é verdade. Victor Freitas considera que o vice do Governo demonstrou "desprezo pela inteligência dos funchalenses", diz que "o putativo candidato da coligação negativa, Pedro Calado, mentiu. Não há outra forma de dizer as coisas. Quer ser candidato? Está no seu direito. Mas jogue limpo.

Fica mal a quem se propõe a candidato que, na sua primeira intervenção, utilize a mentira como arma. Há uma diferença entre aumento de impostos e aumento das receitas fiscais. Calado sabe disso mas prefere mentir. As receitas podem aumentar por força do crescimento económico, mesmo baixando os impostos. Calado sabe disso mas prefere mentir. Calado toma os Funchalenses por totós, tratando os Cidadãos da Capital como se fossem mentecaptos". As eleições autárquicas prometem e o Funchal será como estar a discutir um governo, sendo que Miguel Albuquerque sabe muito bem o que está em jogo. Quer Calado, por este ser o social democrata melhor posicionado, e sabe que não pode deixar muito tempo, não quer mais ondas dentro do partido e não quer dar tempo a um eventual posicionamento de Manuel António, por exemplo. Daí esta repentina estratégia, uma espécie de "pôr ordem na casa".

Quanto a Calado, que inicialmente não estava recetivo ao desafio, esta forma de aparecer publicamente a falar sobre o Funchal, pode indiciar que já resolveu este "sacrifício".

19 visualizações