Buscar
  • Henrique Correia

Calado denuncia revolta dos Sapadores do Funchal prejudicados na carreira



"Por estarem a reivindicar ao presidente da autarquia para rever a situação laboral, estão a ser alvo de uma perseguição porque já foram todos identificados".



Bombeiros Sapadores passaram a ganhar menos contrariamente ao que estava determinado por lei, diz Pedro Calado.


Pedro Gomes candidato da coligação PSD/CDS à Junta de São Roque.


O candidato da coligação PSD/CDS à Câmara do Funchal marca uma fase mais "musculada" na luta política contra Miguel Gouveia e a coligação Confiança. Depois da denúncia que a atual gestão oferece conjuntos de chá e café com o símbolo da Autarquia, hoje foi outra denúncia, com um peso maior, relacionada com a carreira dos bombeiros sapadores, que segundo a candidatura de Calado, são perseguidos quando defendem os direitos.

Na apresentação do candidato à Junta de Freguesia de São Roque, o atual presidente Pedro Gomes, Pedro Calado denuncia o que está causa, "a não integração dos bombeiros no corpo de Sapadores após um ano de formação de recruta com direito a aumento salarial, conforme prometido".

Pedro Calado referiu que lhes foi exigido fazer mais um ano, "passando a dois anos de recruta e o problema é que ganharam metade do que deviam ter ganho, não progrediram na carreira e perderam dois anos. Passaram a ganhar menos contrariamente ao que estava determinado por lei. Pior do que isto, e por estarem a reivindicar ao presidente da autarquia para rever a situação laboral, estão a ser alvo de uma perseguição porque já foram todos identificados . “São 33 bombeiros que estão nesta situação e estamos a falar de 300 mil euros”, refere o candidato. Daí o desabafo: “Com que lata a presidência da CMF vai pedir a intervenção destes homens numa situação de combate a incêndios ou outra, quando andou mais de um ano a prejudicar a carreira profissional, a roubar os ordenados destas pessoas”.

Para Pedro Calado, o problema “não é só roubar as pessoas, é que não deram estimulo de progressão de carreira”. “Isto é aldrabar as pessoas, é fazer uma política de sonsices e não queremos mais sonsos na CMF. Se não são dignos de cumprir o que prometem ponham-se todos no meio da rua”, referiu o candidato.

Pedro Gomes apresentou esta tarde, no Miradouro de São Roque, a sua equipa pelo projecto de coligação PSD/CDS à Junta de Freguesia e queixou-se não ter feito mais por falta de apoio do actual executivo camarário.

“Foram quatro anos de investimentos por fazer, de obras incompletas, de projectos inacabados. Foram meias ruas, meia faixa de alcatrão, meia rede de abastecimento de água potável. Foram trabalhos feitos em cima do joelho, sem planeamento, sem olhar o futuro, como o polidesportivo de São Roque que, em vez de um piso novo e de uma cobertura, vai sendo remendado e remendado”, referiu o cabeça de lista à junta, sublinhando, que “foi uma meia governação”.

Pedro Gomes defende mais investimento para a freguesia: a prometida requalificação e beneficiação do Campo da Penteada, a consolidação da escarpa na Comandante Camacho de Freitas, que ficou pela metade, uma intervenção séria e planeada que resolva de uma vez por todas o problema da falta de água na zona do Galeão, que já dura há três anos, a criação de bolsas de estacionamento, já que nestes quatro anos o único investimento feito nesta área foi através do Governo Regional com a colaboração da Junta de Freguesia.







2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo