Buscar
  • Henrique Correia

Candidato do PSD/CDS quer "pontes" para resolver transportes do Porto Santo


“Mais do que o consenso, é importante registar o compromisso que todas as entidades aqui presentes".



“Mais do que o consenso, é importante registar o compromisso que todas as entidades aqui presentes, neste evento, assumiram no sentido de fazer da questão dos transportes do Porto Santo uma questão nacional”, disse Nuno Batista, candidato do PSD/CDS à Câmara do Porto Santo, no âmbito de uma mesa redonda que hoje teve lugar no contexto do evento “A uma só Voz pelo Turismo”.

Quer do ponto de vista da mobilidade que importa assegurar aos residentes - na perspetiva regional e nacional - quer ao nível da abertura ao exterior e consequente crescimento da procura turística, o atual modelo que serve o Porto Santo, em matéria de transportes, “fica aquém do desejado e obriga a um trabalho de fundo, para o futuro”, conforme expressou, hoje, o candidato pela coligação PSD/CDS à Câmara Municipal, Nuno Batista, opinião que reuniu consenso na mesa redonda que hoje teve lugar no âmbito do evento “A uma só Voz pelo Turismo”.

“Mais do que o consenso, é importante registar o compromisso que todas as entidades aqui presentes, neste evento, assumiram no sentido de fazer da questão dos transportes do Porto Santo uma questão nacional”.

“Temos a noção de que são muitos os desafios a ultrapassar nesta área e temos, acima de tudo, de ter a capacidade de trabalhar em rede e parceria, criando pontes de entendimento, a nível regional e nacional, que nos permitam encontrar as melhores soluções para o Porto Santo”, reforçou, ainda, o candidato, deixando todavia a garantia de que “todas as soluções que venham a ser encontradas para o Porto Santo terão de partir, sempre, dos Porto-Santenses”.

Recorde-se que Nuno Batista insistiu, recentemente, no lançamento do caderno de encargos para a linha inter-ilhas e defendeu que a TAP poderia, inclusive, concorrer e assegurar essa mesma ligação, uma luta que defende em nome do interesse do Porto Santo. “Não podemos admitir que a TAP, que é paga com o dinheiro de todos os contribuintes portugueses, continue a demitir-se do seu papel e, por exemplo, não assegure as ligações desde o continente ao Porto Santo, situação que, depois dos compromissos hoje assumidos aqui, neste evento, esperamos ver ultrapassada”.



5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo