Buscar
  • Henrique Correia

Centros de dia encerrados, visitas a lares e hospitais suspensas ou condicionadas



Medida de encerramento de centros de dia, de convívio e comunitários "entra m vigor às 0:00 horas do dia 19 de dezembro de 2020 e mantém a sua vigência até às 23:59 horas do dia 2 de janeiro de 2021"


É já hoje a partir de 19 de dezembro que encerram, na Região, os Centros de Dia, Centros de Convívio e dos Centros Comunitários, por um período de 15 (quinze) dias, "uma ação coordenada e monitorizada pelas autoridades de Saúde e de Proteção Civil competentes, ficando as mesmas, desde já, autorizadas a solicitar a colaboração das forças de segurança, bem como a utilização de recursos humanos e materiais da administração pública regional", pode ler-se na resolução.

Hoje, é o último dia em que estão abertos, segundo a resolução. A decisão é formalizada num contexto de visitas muito condicionadas noa lares da Região e visitas suspensas nos Hospitais dos Marmeleiros e João de Almada, bem como condicionalismos fortes no Hospital Dr. Nélio Mendonça.

A medida dos centros de dia, de convívio e comunitários é de natureza excecional, sem prejuízo de prorrogação ou modificação na medida em que a evolução da situação epidemiológica o justificar. Entra em vigor às 0:00 horas do dia 19 de dezembro de 2020 e mantém a sua vigência até às 23:59 horas do dia 2 de janeiro de 2021.

Esta decisão assenta no facto de se verificar "um aumento significativo

de casos de infeção por COVID-19 na RAM e que é de elementar importância para a contenção epidemiológica do vírus SARS-CoV-2, proceder ao encerramento dos Centros de Dia, Centros de Convívio e dos Centro Comunitários, com o escopo de prevenir a propagação do contágio da doença COVID-19; considera, ainda, que, ao Governo Regional, enquanto representante da Região, cabe o desafio de tomar medidas adequadas no âmbito da saúde pública e da proteção e segurança sanitária da população, da comunidade madeirense, e dos que nos visitam, sob a estrita vigilância e orientação das autoridades de saúde competentes". O Governo lembra a possibilidade de, "em caso de declaração do estado de emergência, serem adotadas medidas excecionais de contenção da pandemia, de natureza cautelar e preventiva, de forma a salvaguardar a saúde pública da população.

3 visualizações