Buscar
  • Henrique Correia

Excesso de pessoas e umas em cima das outras na poncha leva a alerta de Albuquerque

«A Madeira não pode voltar a fechar. Usem a máscara, não ganhem um excesso de confiança na aproximação às pessoa", diz o presidente do Governo Regional



Miguel Albuquerque fez as declarações à margem de uma visita a uma exploração agrícola, no Monte, uma produção de lúpulo, do proprietário João Gramilho


O presidente do Governo Regional disse hoje, e bem, que a Madeira não pode voltar a fechar e os aeroportos não podem voltar a fechar. E realmente não podem. É uma evidência em função do rasto de dificuldades que ficou para trás e dos previsíveis problemas que surgem para a frente em termos de recuperação económica.

O chefe do executivo fez bem lançar este alerta, que ao mesmo tempo recorda ao povo que não pode relaxar. Mas o povo, já se sabe, muito povo, pensa que não, que é um exagero, que é uma perda de tempo as medidas de proteção mais básicas, até o primeiro caso chegar à porta. E é só dar uma volta pela cidade para vermos, a cada dia que passa, mais pessoas sem máscara.

Miguel Albuquerque tranquiliza, por um lado, quando diz que "os testes vêm decorrendo bem", mas logo faz um aviso muito concreto: está aí uma segunda vaga e todos têm de cumprir com as regras. Na generalidade estão a ser cumpridas, mas alerta para o que se passa junto a alguns estabelecimentos, sobretudo os que vendem poncha, onde houve alguma desregulação no passado fim-de-semana".

«Sei que, às vezes, sobretudo a malta mais nova, gosta de tomar o seu copinho… Mas, ainda neste fim-de-semana, nas ponchas, estava uma situação desregulada, com excesso de pessoas e umas em cima das outras», criticou Albuquerque, num texto publicado no site do Governo.

E faz novo aviso para o que é recomendado e não obrigatório, deixando à consciência de cada um a prevenção necessária para evitar males maiores, sabendo que vai enfrentar a inconsciência de outros onde se irão basear alguns dos futuros resultados positivos: «Usem a máscara, não ganhem um excesso de confiança na aproximação às pessoas, tenham as medidas de higiene que foram anunciadas e que são também decisivas para que possamos controlar o vírus, não se juntem em grandes grupos».

O presidente do Governo reafirma que "não há dúvida que esta abertura ao exterior constitui um risco, que é calculado, como já disse e que será importante para o futuro. Porque nós não podemos fechar novamente a Madeira. Nem os aeroportos. As equipas que fazem os testes estão a trabalhar muito bem, quer no Porto Santo quer na Madeira, quer ainda no Continente». «A Ideia é, independentemente do que possa acontecer, tentar sempre controlar os focos de pandemia a nível local», explicou.Aquilo que ia acontecendo no Porto Santo constituiu um grande risco. Ainda agora na Madeira tivemos um foco local», acrescenta, preocupado.



1,473 visualizações