Buscar
  • Henrique Correia

Filipe Sousa denuncia: obra de 1,1 milhões no tempo do PSD vai custar 26 mil euros


"Não deixaram nada. Tudo limpo. Até o macaco para levantar carros desapareceu”


O presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz protagonizou hoje, no âmbito da reunião da Assembleia Municipal para debater e votar 135 mil euros para as juntas do concelho, um diferendo com deputado do PSD Bruno Camacho, que coloou em causa uma escultura como prioridade em Gaula.

Filipe Sousa aproveitou o momento para, em sua opinião, reavivar a memória do PSD. Trouxe um exemplo para apontar o dedo à anterior gestão autárquica, social democrata: "o Caminho Agrícola da Cruz/Morena será executado pela Junta de Freguesia, no valor de 26 mil euros. Ia custar, no tempo do PSD, 1,1 milhões de euros. Isto com a agravante de apenas servir duas casas, quando agora vai servir 10 famílias. Além disso, na obra do PSD estava previsto um desvio para servir uns terrenos do empresário que ia executar essa mesma obra. Ou seja, no tempo do PSD, a obra ia custar 1,1 milhões de euros ao erário público para servir os amigos do PSD, e agora vai custar 26 mil euros para servir a população.

Segundo uma nota da Autarquia, Filipe Sousa disse mesmo que "se o PSD tivesse vergonha na cara “devia desaparecer”. É que à semelhança desta obra existiam outras inflacionadas apenas com o intuito de encher os bolsos a alguns. “E na altura ainda tiveram lata de criticar o JPP de não aproveitar as obras que tinham candidatado a fundos europeus, mas sem garantir a parte de investimento que sabia à Câmara, que, como se sabe, foi deixada em estado de falência. Não deixaram nada. Tudo limpo. Até o macaco para levantar carros desapareceu”, vincou.

A proposta acabou por ser aprovada, apenas com o voto contra do PSD.

8 visualizações