Buscar
  • Henrique Correia

Governo anda a ver como compatibilizar casas de luxo e casas para residentes



Rui Barreto diz que "a Madeira tem uma excelente oferta, excelentes construtores, e tem condições políticas que são indissociáveis para garantir segurança no investimento”.



Miguel Albuquerque já tinha dito que a Madeira é atrativa do ponto de vista do imobiliário e a aposta será nos grandes investidores. O problema, ou melhor a solução, está no mercado inflacionado que vai obrigar o Governo proporcionar, aos jovens, a aquisição de casa a preços controlados. Mas sem bairros. A forma é que Albuquerque não explicou. Ainda.

Mas quem reforçou, agora, essa ideia, foi o secretário da Economia durante a abertura do Salão Imobiliário de Lisboa, onde a Região está representada, através da Invest Madeira, com sete empresas do sector do imobiliário e da construção.

Rui Barreto disse que a ideia "é

compatibilizar, obviamente, com uma oferta para residentes, uma oferta para não residentes e uma oferta para aqueles que querem viver na Madeira temporariamente, mas querem investir, com segurança, com previsibilidade, numa região de excelência, que fez uma boa gestão da pandemia, que está consistente e que tem, de facto, no setor imobiliário, um setor relevante de contribuição também para a riqueza que é criada na Região Autónoma da Madeira”.

Sobre o ramo imobiliário, Rui Barreto disse que foi um sector que registou, no ano passado, um volume de negócios que ascendeu a 444 milhões de euros, o que reflete, em seu entender, “que a Madeira tem uma excelente oferta, excelentes construtores, e tem condições políticas que são indissociáveis para garantir segurança no investimento”.

O secretário regional disse que "o próximo orçamento da Região já deverá refletir as alterações previstas no âmbito da revisão do Código Fiscal de Investimento e que vão, com toda a certeza, promover a competitividade e o investimento, criando benefícios para quem decidir investir, criar riqueza e emprego.

Segundo nota do gabinete de comunicação de Rui Barreto, o governante explicitou que “a Região tem, neste momento, em termos fiscais, a melhor oferta no país. Estamos a rever o código Fiscal de Investimento e a nossa intenção é que a revisão, para melhor, já esteja vertida na proposta de orçamento para 2022, o que tornará a região ainda mais atrativa no ‘real state".

10 visualizações

Posts recentes

Ver tudo