Buscar
  • Henrique Correia

Jardim direto ao PSD-M : Ricardo Nascimento foi dispensado em 2017 por identificados "renovadinhos"


O antigo presidente do PSD-M diz que "agora parecem persistir na asneira para as autárquicas de 2021"


O antigo presidente do PSD-Madeira e do Governo Regional, Alberto João Jardim, abordou sucintamente as eleições autárquicas de 2021 e as eventuais negociações do partido para a Câmara da Ribeira Brava, reavivando a memória de quem porventura se possa ter esquecido, que o atual presidente da Autarquia, Ricardo Nascimento, foi candidato do PSD em 2013, com Jardim ainda líder. E mais: "Em 2017 foi dispensado por identificados "renovadinhos", que sabotaram as eleições de 2013 e agora parecem persistir na asneira para as autárquicas de 2021". Uma posição curiosa de Jardim, que ao mesmo tempo que faz este alerta crítico, classifica de "renovadinhos" um suposto movimento interno eventualmente ligado à atual fase de liderança. Com uma acusação direta de ter ocorrido, no próprio partido, uma "sabotagem" às eleições em 2013. Um assunto para reflexão, no mínimo, não só em contexto de preparação de um ato eleitoral importante, mas também em matéria de avaliação sobre a unidade interna.

Quem considera que as eleições autárquicas, para o PSD, representam um desafio apenas em confronto com a oposição, tendo por objetivo recuperar o muito que foi perdido, está enganado. Internamente, o ato eleitoral, a escolha dos candidatos e a coligação governamental regional alargada ao poder local, são questões mais do que suficientes para deixar Miguel Albuquerque de sobreaviso, ainda que o líder esteja a desvalorizar as negociações e a remeter decisões para o congresso social democrata de novembro. Uma forma de ganhar tempo e esbater eventuais discussões internas na praça pública. Mas não será fácil.

O partido está confrontado com várias situações e não quer repetir erros de 2017, ano em que a atitude social democrata foi, mais ou menos, como a de "limpeza" de tudo o que tivesse, direta ou indiretamente, ligação ao jardinismo. Que, por acaso, era todo o PSD-Madeira. Mas a "luta" era, pelo menos, para os que foram com Jardim até ao fim.

Nesse contexto, e em matéria de topo da discussão, esteve Ricardo Nascimento, na Ribeira Brava, hoje com as pazes feitas com Albuquerque, mas na altura afastado em favor de um outro candidato, Nivalda Gonçalves, a protagonizar a nova vaga e o rompimento com o passado. Só que Nascimento tinha carisma e o PSD-Madeira, com a confiança de quem vai a jogo pela primeira vez, a primeira da nova gestão, foi em frente e perdeu por números elevados, a tal ponto de ficar convencido que a melhor solução seria mesmo apoiar o atual presidente para novo mandato, o terceiro e último possível. Isto, para evitar novo desaire, mesmo que talvez por números inferiores.

32 visualizações