Buscar
  • Henrique Correia

Luz do dia mostra estabelecimentos comerciais afetados e parques alagados


Câmara do Funchal tem equipas no terreno para "promover o mais rapidamente possível a reposição das condições de normalidade e de segurança em toda a cidade".






Este domingo, com o tempo mais calmo, é de limpeza da cidade. A Câmara do Funchal deu conta que o presidente, Miguel Gouveia, "está a acompanhar, desde o início da manhã, o rescaldo que o Município está a fazer das ocorrências na noite passada, onde o Funchal voltou a registar valores de precipitação muito elevados, mais uma vez sob forte trovoada".

Segundo uma nota do gabinete de comunicação da Autarquia "o autarca explica que “esta noite tivemos cerca de 30 ocorrências registadas no concelho, a maior parte delas relacionadas com inundações e colapsos de estruturas, tais como muros e pedras que caíram para a via pública. Neste momento, e ultrapassadas as condições meteorológicas mais adversas, estamos a fazer uma avaliação de riscos e a proceder à limpeza de toda a cidade.”

“Esta manhã, com a luz do dia, têm-nos chegado também novas informações de estabelecimentos comerciais afetados, bem como estacionamentos alagados e ribeiros que saíram do seu curso normal, pelo que os Bombeiros Sapadores do Funchal e a Proteção Civil Municipal estão a acudir a estas situações, executando bombagens de água em locais que se encontravam submersos. A CMF tem também no terreno equipas do Departamento de Ambiente, dos Jardins e Espaços Verdes, das Infraestruturas e Equipamentos, das Águas do Funchal e da Mobilidade e Trânsito, para promover o mais rapidamente possível a reposição das condições de normalidade e de segurança em toda a cidade.”

Miguel Silva Gouveia reforça que “durante o dia de hoje, mantém-se o apelo à prudência para todos os funchalenses e para que se evite a circulação no concelho, porque ainda temos muitos detritos nas estradas. "A população tem de manter a serenidade e solicitamos também que verifiquem possíveis efeitos desta intempérie em estruturas próximas das suas casas que, não tendo colapsado, possam suscitar preocupações e perigo para pessoas e bens. Nesses casos, pedimos para que contactem a Proteção Civil Municipal, de modo a fazer a avaliação de riscos que se impõe.”

O Presidente agradece, por fim, “a todas as entidades que têm vindo a manifestar a sua solidariedade para com o Funchal, nomeadamente a vários prestadores de serviço e empreiteiros que trabalham connosco, e que desde a primeira hora colocaram os seus meios humanos e materiais ao dispor do Município, bem como às Autarquias que nos contactaram, nomeadamente a Ponta de Sol e Machico, e que também nos disponibilizaram os seus recursos. Um bem-haja a todos.”

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo