Buscar
  • Henrique Correia

O "maior" a escalar o porto do Funchal chegou hoje; mais de 5 mil viajantes



É o primeiro navio de cruzeiros britânico movido a gás natural liquefeito (LNG). Traz 3826 passageiros e 1608 tripulantes. Também o Europa está no porto.



foto Carla Oliveira


Foto Miguel Moniz

Foto DR.


É o navio de cruzeiros mais recente da P&O Cruises e o maior a fazer escala no porto do Funchal. Acontece esta quarta-feira e traz 3.826 passageiros e 1.800 tripulantes. O navio tem capacidade para 5.200 passageiros. É o primeiro navio de cruzeiros britânico movido a gás natural liquefeito (LNG).

Disponibiliza 26 suítes, 95 mini-suítes com jardim de inverno, 1.486 cabines com varanda, 174 cabines com vista para o mar, 811 dentro cabines e 22 cabines de ocupação individual. Tem recursos inovadores a bordo: um luminoso SkyDome com teto de vidro, destilaria de gin a bordo, além de vários restaurantes (nada menos do que 15 restaurantes) e entretenimentos a bordo, como refere o site Travel2u.

A mesma informação dá conta que "são várias as opções de entretenimento noturno. Mais de 10 bares, salões e locais para experimentar a bordo do P&O Iona, cada um com seu próprio estilo e atmosfera única. O 710 Club é obrigatório para quem gosta de música ao vivo e dança, enquanto o Limelight Club é o lugar ideal para jantares apenas para adultos. O clube hospeda vocalistas consagrados e emergentes e é o local dedicado aos artistas residentes e à banda da casa.

O IONA estreou-se no início de outubro em Lisboa, um dos destinos de uma viagem de 14 dias. "É um dos 25 navios encomendados até 2027 que serão movidos a GNL, e o mais ecológico da frota P&O Cruises é, também, o primeiro de dois navios movidos a GNL encomendados pela Carnival Corporation, a empresa-mãe da P&O Cruises. O segundo navio da classe Excel movido a GNL da P&O Cruises, o Arvia, entrará na frota em dezembro de 2022, mês em que está prevista a sua visita a Lisboa", refere uma informação publicada pelo porto de Lisboa.

"Entregue em outubro de 2020, devido à sua moderna tecnologia, deixa uma pegada de carbono reduzida com zero de enxofre e emissões de nitrogénio. Ao usar GNL, navios como o Iona podem alcançar uma redução de até 23% nas emissões de gases de efeito estufa, em comparação com os combustíveis marinhos tradicionais".

O Porto do Funchal está, assim, hoje, muito movimentado com os mais de quatro mil passageiros e quase dois mil tripulantes dos navios "Iona e também o "Europa".

O "Europa" vem da Praia da Vitória", Açores, com 341 passageiros e 358 tripulantes.

Às 18h00, sai com destino a La Gomera, nas Canárias.




13 visualizações