Buscar
  • Henrique Correia

O "tempo" de Barreto



"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou"

- Eclesiastes



Miguel Albuquerque, como se sabe, é o líder do PSD Madeira. E para que não digam que não está a tratar das Autárquicas, até porque já começam a aparecer muitos palpites internos, sobre nomes e sobre estratégias, decidiu, não se sabe se unilateralmente, emitir um comunicado com o carimbo do PSD-M a falar sobre a coligação para o Funchal. E quando diz Funchal é mesmo todo, freguesias e tudo. As bases vão compreender e o companheiro de coligação, se não foi consultado antes, será certamente um dia destes. Mas deve ter sido, atendendo à "fortaleza" propalada na coligação governamental, para ir até ao fim, pode torcer mas não parte. E não há razões para duvidar, a gente acredita na palavra das pessoas. Não se ouviu nada do CDS, neste caso sobre a coligação para o Funchal, não se sabe se apanhado de surpresa ou surpreendido com a surpresa de alguns setores internos. Não se ouviu no imediato. Mas hoje, no DN, sem declaração grande, fez uma grande declaração. Rui Barreto "puxou dos galões" eclesiásticos, que a matriz cristã do CDS dá, para citar uma passagem bíblica de Eclesiastes, um título que significa "aquele que reúne", uma das referências sapienciais do Antigo Testamento. Barreto não faz por menos, não se sabe se com sapiência ou se com paciência cristã, face a este momento, como diz o povo, em que é preciso "descalçar a bota". Ou calçar, que é o mais certo. O lider centrista citou Eclesiastes pelas suas palavras mas fiel à leitura do conteúdo exato. O que diz o documento é isto: "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou"

Eclesiastes 3:1,2 Sem pretender extrapolar para leituras que possam ser especulativas, a verdade é que esta citação de Rui Barreto pode representar uma forma de "avisar a tropa" que o CDS não quer ser adereço de coligação. Tem o seu tempo, que neste caso não é o tempo de Miguel Albuquerque, além de ser difícil acreditar que o CDS possa ter outra posição num tempo seu, uma vez que se trata, em termos autárquicos, como de resto na governação, um momento de "sorte grande" da política, para utilizarmos uma expressão da lotaria. Rui Barreto quer passar a mensagem de não ser este o tempo certo, também diz que mantém a linha de rumo, só fala da coligação com Albuquerque. E faz bem. Não se sabe se essa postura tem correspondência no seu parceiro, mas o princípio está correto. Já agora, porque nestas citações bíblicas não tenho, nem de perto nem de longe, conhecimentos que me permitam grandes "voos" de escrita, apesar das raízes do batismo e de alguma prática que podia ser maior, deixo aqui duas outras passagens em Eclesiastes, certamente com a correspondente sapiência de todos os tempos. Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Eclesiastes 3:7 Aquilo que é torto não se pode endireitar; aquilo que falta não se pode calcular. Eclesiastes 1:15


16 visualizações